Quando eu digo que o Silvio Santos tá fora da casinha…

Por que a justiça ainda não tirou o quadro do ar? dá para entender?

“A menina Maisa protagonizou uma nova cena de choro no “Programa Silvio Santos”, que foi ao ar neste domingo (17) no SBT.

No programa, Silvio Santos diz que não quer mais conversar com a garota. “Porque na semana passada você deu vexame, ficou chorando no palco como se fosse uma criancinha de um mês de idade.”

Diante da reprimenda do apresentador, os olhos de Maisa começam a se encher de lágrimas.

“Mas você chora à toa. Parece uma atriz de televisão. Qualquer coisinha fica magoada. Auditório, eu estou falando alguma coisa para ela chorar?”, questiona Silvio.

Desconcertada, Maisa olha para o chão e diz que ficou “magoada”. Chorando e gritando, ela sai do palco e bate a cabeça em uma das câmeras do programa.

“Que artista cheia de banca”, diz Silvio que, em seguida, com o público seguindo em coro, grita: “Medrosa, medrosa, medrosa.”

“Tá doendo muito! Posso ir lá para a minha mãe?”, pergunta Maisa ao voltar para o palco.

Maisa se dirige até o local onde se encontra sua mãe. No entanto, a mãe se recusa a receber a filha nos bastidores.

Ela se volta para o apresentador: “Silvio, deixa esperar sarar que eu volto. Gosto muito de você, mas está doendo muito.”

“Silvio, meu Deus, tá doendo muito. Silvio, semana que vem vou gravar dois programas”, grita a garota.

Em seguida, ela toma um copo de água, resolve encerrar o quadro “Pergunte para Maisa” e sai do palco.

“Só cria caso. Toda semana ela cria caso”, conclui Silvio.”

Fonte: www.folhaonline.com.br, em 18 de maio

Anúncios

Vem dizer que contigo nunca aconteceu…

… de sentir aquela dor no olho quando toma algo muito gelado?

… de ter cãimbra no pé quando o estica para colocar uma calça no inverno?

… de estalar o maxilar vez ou outra?

… de sonhar que tá caindo e dar aquela puxada assustadora?

… de entregar uma moeda ao cobrador do ônibus achando que era um VT?

… de falar perto do ventilador ligado para ouvir a voz de robô?

… achar que a ligação de alguém era o despertador do celular e desligar na cara?

(título)

Ah, maldita falta de tempo que não me deixa comentar o Wolverine, as minhas aulas na Letras, a mudança profissional, a perda de um tio e tudo que eu precisava fazer, mas estou sem tempo.

Espero que me sobrem dedos até esse estresse passar um pouco. Maldita mania essa de automutilação (com hífen ou sem hífen?). Aliás, comprei a gramática atualizada do Bechara que ainda não tive tempo de olhar com carinho. Assim como todos os outros livros que ganhei de formatura. A não ser “Para Entender Saussure”, de Castelar de Carvalho. Até porque, signo linguístico, arbitrariedade do signo, relações paradigmáticas e sintagmáticas têm de estar na ponta da língua até sexta-feira. Puxa, prova. Nem lembrava mais como era isso, depois de quatro anos e meio de Fabico.

Coerência nesse texto. coesão. tá faltando? ah, não, isso é matéria de outra cadeira. Puxa, texto para entregar terça, baseado em notícia. Mas não notícia. Isso fica lá para o trabalho. Sempre às pressas. Deadline, deadline. O do  meu tio foi 80 anos. E até que foi muito, disse o pastor.

Cansei, vou dormir minhas cinco horinhas de sono diárias. Volto amanhã (mentira! semana que vem, talvez) para escrever algo mais claro e com sentido. Talvez sobre o bonitão do Hugh Jackman e o Wolverine.