O primeiro round do circuito W

da minha primeira experiência em trekkings com a trilha inca, no peru, até que esse lance de ficar em refúgios, ao que me propus na patagônia chilena, não parecia nada mal. claro, quem quer poupar no orçamento pode ficar em barracas e tal, mas tem de carregar consigo todo o material de camping. na trilha inca tem a barbada de ter nossos amigos carregadores. resumindo, em Torres del Paine (TDP) rola um banho quentinho e uma caminha boa.

o circuito w em TDP pode-se começar tanto de uma ponta como da outra. meu início seria partindo do refúgio Las Torres para o mirador das torres.

os mapas que te dão na entrada do parque (by the way, o ingresso é 15.000 pesos chilenos, coisa de 40 e poucos pilas. em baixa temporada baixam pela metade) indicam a quilometragem por “ponta” do W e o quanto se gasta em horas para chegar a cada destino. nesse primeiro dia, foram 9 km para ir, outros 9 para voltar, muito vento e uma dor no rosto que só crescia (a congestão nasal e o frio tem me dado uma espécie de nevralgia que parece muito com uma dor de dente, mas que já constatei com a dentista que não tem nenhum problema odontológico).

não há problema para se perder nesse primeiro dia. é tudo muito bem sinalizado, com indicadores laranjas em pequenas estacas ou pontos pintados em árvores, além de muita gente se dirigir ao mirador, já que é o destino daqueles que também escolhem passar apenas um dia no parque. um grande ufa para quem estava com medo de se perder em uma empreitada sozinha.

a última hora até alcançar o mirador é a mais puxada de todas, num caminho todo de pedras. mas o visual é um dos mais bonitos de todo o percurso.

Mirador de Las Torres del Paine

fiz o percurso em sete horas e 40 minutos. um bom tempo, já que os mapas previam nove horas. almocei atum, lanchei amendoim e jantei chocolates. graças a essa belezura de alimentação, adquiri alguma nhaca de alergia que deixou meu rosto todo empoleirado (ou seria alguma alergia ao frio?).

à noite, a dor no rosto só aumentou e cheguei a chorar. tomei tylenol sinus, mais um paracetamol 750mg e quando já tinha me drogado além da conta, achei que teria de desistir da viagem, pegar minha malinha e voltar para casa para tratar essa chonga. a dor cedeu depois de umas cinco horas de desespero, ainda indo e voltando, mas a ideia de desisitir foi abandonada, at least.

de rescaldo positivo desse dia, um viva ao investimento em boas botas de trekking. na foto abaixo, ainda bem bonitinhas. agora, carregando uns 500 gramas de barro cada uma.

 

 

 

 

 

 

 

fiz muitas fotos e até uns videozinhos nesse primeiro dia.

Anúncios